quarta-feira, 31 de março de 2010


segunda-feira, 29 de março de 2010

Insinuante e Ricardo Eletro anunciam fusão

O setor varejista dá mais um passo em direção à consolidação no país. Nesta segunda-feira (29/3), a rede Insinuante, sediada na Bahia e líder do mercado no Nordeste, e a mineira Ricardo Eletro anunciaram uma fusão que deve criar a segunda maior empresa de móveis e eletroeletrônicos do Brasil. A estimativa de faturamento anual gira em torno de 4 bilhões de reais, ultrapassando a Magazine Luiza e ficando atrás apenas do grupo Pão de Açúcar - que comprou o Ponto Frio e assumiu o controle da Casas Bahia.
Com a união, o comando do novo grupo deve ficar a cargo de Ricardo Nunes, dono da Ricardo Eletro, e a presidência do conselho de administração pertencerá a Luiz Carlos Batista, da Insinuante. Tanto a Insinuante quanto o Magazine Luiza haviam participado da briga pela compra do Ponto Frio no ano passado, mas perderam na reta final para o Pão de Açúcar.

De certa forma, a fusão entre Ricardo Eletro e a Insinuante é uma reação ao avanço do grupo de Abilio Diniz. Juntas as duas empresas terão uma rede de mais de 500 lojas - 55% eram da mineira e 45%, da baiana - distribuídas em 19 Estados. O foco da nova empresa deve ser o Sudeste, concentrando suas estratégias para ganhar mercado em São Paulo e no Rio de Janeiro. Nos últimos anos, as duas redes travavam uma disputa pesada na região Nordeste, grande filão de crescimento do consumo do País.

Com o crescimento do poder de consumo da classe C, concentrada especialmente na região Nordeste, as redes regionais tendem a se fortalecer para brigar por esse consumidor emergente e fazer frente ao megaconglomerado formado por Pão de Açúcar e Casas Bahia. Com informações da Agência Estado.

Juiz de Fora terá nova usina de aço

Juiz de Fora, terá uma segunda siderúrgica de grande porte - já conta com usina do grupo ArcelorMittal, de 1 milhão de toneladas/ano. A nova unidade, com capacidade para 3,5 milhões de toneladas anuais, será construída pela Ferrous Resources do Brasil, subsidiária da Ferrous Resources Limited, companhia com sede na Ilha de Man, controlada por grandes fundos.

O projeto, que exigirá investimentos de R$ 8,8 bilhões, faz parte de plano de R$ 17,94 bilhões, que inclui também cinco minas de ferro em Minas Gerais.
A Ferrous Resources do Brasil anuncia o projeto hoje, em cerimônia presidida pelo governador Aécio Neves, que deverá deixar o cargo esta semana para concorrer a uma vaga no Senado.

A siderúrgica da Ferrous será do tipo integrada, com alto-forno a coque, aciaria a oxigênio e lingotamento contínuo. Ainda segundo o programa da empresa, serão criados 4,4 mil empregos diretos e em dezembro deverá sair o licenciamento ambiental.

O projeto da Ferrous é um dos seis novos investimentos que serão anunciados hoje pelo governador Aécio Neves para Juiz de Fora. Os outros cinco projetos, totalizando R$ 287 milhões, são para a construção ou expansão de fabricantes de estruturas metálicas ou metalurgia.

Juiz de Fora, que já foi conhecida como a "Manchester Mineira", pela alta concentração de empresas têxteis - da mesma forma, nas devidas proporções, que a cidade inglesa de Manchester -, vem atravessando um período de forte retração econômica, perdendo vários projetos industriais para municípios próximos do Estado do Rio de Janeiro, especialmente Três Rios.

domingo, 28 de março de 2010

Lista de Schindler


Capa do livro A Lista de Schindler – A Verdadeira História, que a Geração Editorial lança neste fim de mês.

Em seu célebre discurso aos trabalhadores judeus de suas empresas, após a libertação, em maio de 1945, Oskar Schindler – autor da famosa Lista que leva seu nome e deu origem ao filme de Steven Spielberg – declarou: “Não me agradeçam por terem sobrevivido. Agradeçam a seus compatriotas que se esforçaram dia e noite para livrá-los do extermínio. Agradeçam a seus intrépidos e destemidos companheiros Stern e Pemper, que, durante as tarefas que desempenharam a favor de vocês, contemplaram a morte diante de seus olhos a cada momento.”

Pemper é Mietek Pemper, o herói judeu que trabalhava, forçado, para o carrasco e assassino nazista Amon Göth. Arriscando a própria vida, ele seria o único, segundo o próprio Schindler, capaz de contar a emocionante história da Lista “de forma autêntica”. Pois ele, finalmente, contou, num livro que a Geração Editorial está lançando no final deste mês, A Lista de Schindler – A Verdadeira História (280 págs, R$ 34,90). O livro chega em momento mais que oportuno, já que no próximo dia 12 de abril será celebrado, pelos judeus, o Yom HaShoá, Dia da Lembrança do Holocausto.

VIGARISTAS


Atenção para a prova da vigarice intelectual: quando Dilma crescia de modo supostamente vertiginoso e constante, aquilo era evidência de que todas as mães Dinahs estavam certas. Agora que Serra voltou a crescer, estamos diante de uma “fotografia do momento”.

Então, leitor, você aprendeu o seguinte: quando Dilma avança, é tendência com virtudes presentes e futuras; quando é Serra a avançar, é só coisa de momento.

Não sei se veremos isto, mas é possível. Caso o tucano vença a eleição, aparecerá alguém para dizer:
“Foi o resultado do momento; mais 15 dias, Dilma seria eleita…”

Mais fotos da Missa Imperial

William Xavier de Carvalho, Sua Alteza Imperial a Princesa Dona Isabel de Orleans e Bragança e Dom Abade José Palmeiro Mendes

Click nas fotos para ver ampliado


Monsenhor Sérgio Costa Couto, celebrante da missa, Dom Abade José Palmeiro Mendes, Sua Alteza Imperial a Princesa Dona Isabel de Orleans e Bragança e Dr.Gustavo Cintra do Prado e William Xavier de Carvalho

sábado, 27 de março de 2010

Missa em homenagem ao Príncipe Perfeito foi um sucesso !!!

A Missa relizada hoje, na Igreja da Imperial Irmandade de Nossa Senhora da Glória do Outeiro, no Rio de Janeiro, em homenagem aos 90 anos de morte de Dom Luiz de Orleans e Bragança, o Príncipe Perfeito foi um sucesso !!!
O evento foi uma promoção do Circulo Monárquico do Rio de Janeiro, que tem como presidente a senhora Leda Machado.
O Chefe da Casa Imperial do Brasil, S.A.I.R o Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança foi representado por sua irmã a Princesa Dona Isabel de Orleans e Bragança e pelo Secretário Geral da Casa Imperial do Brasil, Dr.Gustavo Cintra do Prado.
Click nas fotos para ver ampliado

O Arquiteto Luiz Manoel Gazzaneo e o Deputado Estadual João Pedro, presidente da Comissão de Turismo da ALERJ

Dr.Gustavo Cintra do Prado, saúda o Circulo Monárquico do Rio de Janeiro, pela iniciativa da missa, em nome do Chefe da Casa Imperial do Brasil, Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança

Jean Tamazato, Dr.Gustavo Cintra do Prado e William Xavier de Carvalho, (representando o Circulo Monárquico de Juiz de Fora)


A Princesa Dona Isabel de Orleans e Bragança, Dom José Palmeiro Mendes, OSB, (antigo Abade do Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro) e a presidente do Circulo Monárquico do Rio de Janeiro, senhora Leda Machado


Monsenhor Sérgio Costa Couto, celebrante da missa, Dom José Palmeiro Mendes, Sua Alteza Imperial a Princesa Dona Isabel de Orleans e Bragança e Dr.Gustavo Cintra do Prado, Secretário Geral da Casa Imperial do Brasil e e Diretor da Pró Monarquia

Supergrife agora no Brasil

Seguem as negociações entre a família Jereissati e os controladores da grife Chanel, para a implantação da loja luxuosa da marca no Shopping Iguatemi em São Paulo.


sexta-feira, 26 de março de 2010

Dom Luiz, O Príncipe Perfeito



2010: NONAGÉSSIMO ANO DE FALECIMENTO DO
PRÍNCIPE DOM LUIZ DE BRAGANÇA
(*1878 +1920)

Segundo filho da Princesa Isabel e do Conde D’Eu, Dom Luiz Maria Felipe Pedro de Alcântara Gastão Miguel Gabriel Rafael Gonzaga de Orleans e Bragança, nasceu em Petrópolis em 26 de janeiro de 1878, no Palácio da Princesa, Avenida Köeller. Iniciou sua educação no Brasil, sob a orientação de seu aio, Barão de Ramiz, e completou-a na França durante o exílio com particular distinção.
Fez estudos militares na Academia Austríaca de Wiener Neustadt, conservando a nacionalidade brasileira, com permissão do Imperador Franz Joseph, primo e amigo de Dom Pedro II.
Em 1908, tornou-se Príncipe Imperial depois da renúncia de seu irmão, o Príncipe Dom Pedro de Alcântara, ex-Príncipe do Grão-Pará. Com autorização e incentivo da Princesa Isabel dirigiu dois manifestos à nação brasileira, em 1909 e 1913, respectivamente. Desenvolveu intensa atividade política visando a revogação do banimento da Família Imperial e a restauração da monarquia.
Intelectual e escritor de grandes méritos mereceu o cognome de Príncipe Perfeito. Candidatou-se a uma cadeira na Academia Brasileira de Letras na vaga do Almirante Barão de Jaceguai, não tendo sido eleito por causa de pressões políticas feitas por Pinheiro Machado.
Globe trotter e desportista, apreciava a equitação, o pólo, a natação, o montanhismo, a caça. Deixou notável obra literária, focalizando suas viagens pelo mundo, seus interesses pelas ciências sociais e pelos grandes problemas que então agitavam a humanidade.
Destaca-se o livro “Sob o Cruzeiro do Sul” (versão portuguesa de “Sous la Croix du Sud”, em várias tiragens e edições, simpaticamente acolhido pela crítica e pelo público, no qual relata sua frustrada viagem ao Brasil e pelo qual foi premiado pela Sociedade de Geografia da França e pela Academia Francesa.
Tentou visitar o Brasil e chegou ao Rio de Janeiro em 12 de maio de 1907, a bordo do vapor “Amazone”. Impedido de desembarcar, Dom Luiz recebeu os cumprimentos de centenas de admiradores durante cerca de 12 horas. Sua viagem ocupou as manchetes durante vários dias e deixou em pânico as oligarquias que ainda se sentiam inseguras no poder.
O Supremo Tribunal Federal indeferiu o pedido de “habeas corpus” impetrado pelo procurador da Família Imperial, Conselheiro José da Silva Costa, tendo votado a favor dos ministros Alberto Torres e Amaro Cavancanti.
Também em Santos teve que permanecer a bordo. Prosseguiu viagem por outros países da América do Sul. Antes de chegar a Corumbá, vindo da Bolívia, fez questão de pisar em terra brasileira durante alguns momentos para um sentimental piquenique, episódio do qual existe uma fotografia, tirada por seu ajudante, comandante Cândido Guimarães.
Deixou inédito: “Le Socialisme”, que Giberto Freire muito admirava dizendo que Dom Luiz antecipou a discussão da questão social; “Palestina e Egito”, “Diário de viagens aos Estados Unidos”, “Impressions d’Asie et Expedition de Chasse à Ceylan” e “Jounal de Guèrre”, este publicado na Revista do Livro, em 1960. O que restou de sua numerosa correspondência, ativa e passiva, merecia ser divulgado para maior conhecimento de sua empolgante personalidade.
lTomou parte na Primeira Guerra Mundial ao lado do Brasil e dos Aliados, engajado no exército britânico, comandado pelo general Sir Douglas Haig, mas tarde Lorde e Conde Bemerside. Destacou-se e várias missões no fronte no norte da França e da Bélgica e recebeu diversas condecorações e honrosas citações.
Sua longa permanência em locais pantanosos, durante as missões que executou na guerra, causou-lhe grave enfermidade reumática durante cinco anos. Foi grande o seu sonho de voltar à pátria. Alguns anos antes de falecer, em carta dirigida a um fiel amigo paulista, Amador da Cunha Bueno, chegou a escrever cheio de ilusão e esperança: “O ar do Brasil bastará para me fazer recuperar as forças perdidas”...
Vítima do reumatismo, e febre intermitente adquirida na África, e de uma pneumonia, faleceu em Cannes prematuramente em 26 de março de 1920. Contava 42 anos de idade, 31 dos quais vivido no exílio.
Logo que a notícia chegou ao Brasil, com imensa repercussão, o deputado Maurício de Lacerda, independente e oposicionista, subiu à tribuna da Câmara dos Deputados comunicando o falecimento do príncipe herdeiro.
Agora, dizia ele, não havia mais razão para o banimento, uma vez que havia morrido Dom Luiz de Orleans e Bragança, que tanto medo causava às oligarquias da República Velha. Instou pela revogação do iníquo ato do Governo Provisório republicano. Isso foi feito pouco tempo depois, com a aprovação do projeto do deputado mineiro Francisco Valadares, sancionado pelo presidente Epitácio Pessoa.
Jaz Dom Luiz no panteon dos Orleans em Dreux ao lado de sua esposa, Dona Maria Pia, de seu irmão Dom Antônio e de seu filho Dom Luiz Gastão. “Homem como poucos, príncipe como nenhum”, disse a seu respeito seu grande amigo e primo Alberto I, Rei dos belgas.


(Alexandre Miranda Delgado - é historiador e membro da IHGB)

Às escuras


Brasília nunca nos deixa na mão em matéria de humor. Todo santo dia vem de lá uma boa piada. A de hoje me fez rolar de rir, e espero que divirta vocês também. Estão anunciando que o Congresso Nacional vai participar da Hora do Planeta, apagando as luzes dos dois prédios durante uma hora no sábado à noite. Pergunto, como assim? Se já é difícil encontrar alguém lá durante a semana, que dirá no sábado!!! Porque as luzes estariam acesas? Para gastar luz? E pensar que fizeram até discurso sobre isso... Meu Deus, a gente merecia mais. Já sei, vão me dizer que as luzes iluminam a arquitetura do Oscar Niemeyer, aquelas duas tijelas uma virada para cima, outra para baixo. Eu entendi. Mas que a idéia é engraçada, é.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Projeto de Lei defende diploma de jornalista


Está em tramitação na Câmara Municipal de Juiz de Fora, um projeto do vereador Bruno Siqueira, determinando a exigência do diploma e anulando qualquer contratação de profissional que não apresentar o diploma em Comunicação Social, habilitação Jornalismo, que for atuar nas assessorias de imprensa da Câmara Municipal e da Prefeitura.

Na justificativa do projeto, o vereador alega que “a profissão de jornalista depende de qualificação específica e que não basta o simples conhecimento de matéria e o exercício da prática profissional, além de preceitos técnicos e éticos que se aprende, de início, nos bancos de uma faculdade especializada”, defendeu Bruno Siqueira.

A exigência se aplica em casos de contratação por meio de concursos, processo seletivo simplificado ou quaisquer outros meios de contratação.

Messi, do Barcelona, é o mais bem pago


O melhor jogador do mundo é agora também o mais bem pago e tem salário de banqueiro americano: o argentino Lionel Messi, 22 anos e atacante do Barcelona, embolsou € 33 milhões (R$ 79 milhões) no ano passado, de acordo com levantamento da revista "France Football".

Messi destrona o inglês David Beckham, de 34 anos, na classificação dos futebolistas mais bem pagos. O pacote do argentino, que está jogando a tal ponto de fazer esquecer Maradona, foi composto de € 10 milhões de salário (€ 27 mil por dia), € 4 milhões de prêmio por conquistas do Barcelona (campeonato espanhol, liga espanhola e liga dos campeões da Europa), e € 19 milhões de publicidade que vem da Adidas, Pepsi, Gillette, Gatorade, Konami, Air Europa, Telefonica/Movistar, SportCenter/ESPN, Damm, Danone, Lody for Men, Storkman, Repsol YPF, SanDisk, M. Mirage/Seiko.

Mas é Beckham quem continua a ser o campeão da publicidade, com € 25 milhões, além do salário de € 4,1 milhões no Los Angeles Galaxy, seu miserável (no campo) time americano. Apenas com marca italiana Giorgio Armani, o inglês tem um contrato de € 9 milhões para posar de cueca.

A medalha de bronze fica com o português Cristiano Ronaldo, que foi alvo da contratação mais cara da história do futebol com os € 94 milhões pagos pelo Real Madrid ao Manchester United no ano passado.

Ronaldo dobrou o salário na Espanha, mas ainda assim só chegou a € 29 milhões, dos quais € 16 milhões vem da exploração de sua imagem.

O brasileiro Kaká, também do Real Madrid, pode se contentar com € 18,8 milhões. Ronaldinho, no Milan, onde continua gordo e mais lento, levou para casa € 17,2 milhões em 2009.

A revista francesa mostra também que, do lado dos treinadores, não é necessário estar numa grande equipe nem num grande campeonato para encher os bolsos. Basta ver o brasileiro Luiz Felipe Scolari, que recebe € 9,5 milhões por ano para treinar o obscuro FC Bunuyodkor, do Urbesquistão, país rico em recursos naturais e pobre em democracia.

O mais bem pago é o português José Mourinho, com € 13 milhões. Mourinho acumula tanto dinheiro que está investindo em hotel 'seis estrelas' em Portugal.

Segundo a consultoria Deloitte, o faturamento conjunto dos 20 maiores clubes europeus passou de € 3,9 bilhões (R$ 9,5 bilhões) na temporada 2008/2009.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Vergonha!

Pergunto a vocês, caros leitores do Blog, se não sentiram um profundo respeito pelo Congresso americano, que ficou reunido o último fim de semana inteiro para votar a emenda da Saúde do presidente Barak Obama? Eu confesso que senti. Ao mesmo tempo me deu uma imensa repugnância com relação ao nosso Congresso que, quando muito, trabalha de terça a quinta. Diz o ditado popular que a gente sempre tem o que merece. Mas será que merecemos mesmo um Congresso que não trabalha? Não somos um país de vagabundos. Trabalha-se muito no Brasil. A grande maioria se esforça a vida inteira para conseguir muito pouco. E assim mesmo vai em frente. Não estou dizendo que não precisamos de um Congresso, por favor, não confundam. Estou dizendo que, nas próximas eleições, se elegermos outro tipo de gente, escolhida não dos currais eleitorais de sempre, gente com vontade de trabalhar pelo País em vez de pensar só na própria carreira e nos companheiros beneficiados, quem sabe, um dia, não possamos ter também a segurança e o orgulho que sentem os americanos pelas suas instituições.

Andy Warhol


Click na foto para ver ampliado
Um dos últimos autorretratos do genial artista Andy Warhol,
produzido em 1986, avaliado entre US$ 10 e US$ 15 milhões e que será vendido no dia 12 de maio, em Nova York

Sempre FHC

Lula padece de estranho mal, segundo até mesmo seus mais chegados: é uma continua vontade de superar, em todas as áreas possíveis, seu antecessor, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Depois de passar a faixa a seu sucessor, Lula vai percorrer o planeta em busca de todos os títulos de doutor honoris causa que recebeu e ainda não foi buscar. Pelas suas contas, será um volume superior aos títulos recebidos por FHC. E até mesmo essa nova pretensão de se sentar na cadeira de secretário-geral da ONU (e ele acha que conseguirá) tem uma ligação com Fernando Henrique que, no passado, durante algum tempo, também alimentou esse sonho.

domingo, 21 de março de 2010

Convite Imperial





Sua Alteza Imperial e Real, o Senhor Dom Luiz de Orleans e Bragança
Príncipe Imperial do Brasil
(* 1878 + 1920)


Convite


Círculo Monárquico do Rio de Janeiro


“Dom Luiz de Orleans e Bragança, o Príncipe Perfeito”


A Presidente do Círculo Monárquico do Rio de Janeiro senhora Lêda Machado e os membros do Conselho Diretor, honrados, convidam Vossa Excelência e



Excelentíssima família para a celebração da Santa Missa em homenagem aos 90 anos de morte de seu Patrono, Sua Alteza Imperial e Real, o senhor Dom Luiz de Orleans e Bragança, o Príncipe Perfeito (26.01.1878 / 26.03.1920).

Igreja da Imperial Irmandade de Nossa Senhora da Glória do Outeiro
27 de março, sábado, 12 horas
Praça Nossa Senhora da Glória, n°135 - RJ

Celebrante: Monsenhor Sérgio Costa Couto, Capelão

Apoio cultural:


WXC Banco de Negócios


Artwork Propaganda


Revista Ponto de Vista

sexta-feira, 19 de março de 2010

Respostinha boa ! ! !


Sobre a decisão de retirarem a Cruz dos lugares públicos.
Que resposta bem dada de um padre consciente.

Esse Frade falou em nome de todos os cristãos.

Sou Padre católico e concordo plenamente com o Ministério Público de São
Paulo
, por querer retirar os símbolos religiosos das repartições
públicas..

Nosso Estado é laico e não deve favorecer esta ou aquela religião.
A Cruz deve ser retirada !

Nunca gostei de ver a Cruz em tribunais, onde os pobres têm menos
direitos que os ricos e onde sentenças são vendidas e compradas.

Não quero ver a Cruz nas Câmaras Legislativas, onde a corrupção é a moeda
mais forte.

Não quero ver a Cruz em delegacias, cadeias e quartéis, onde os pequenos
são constrangidos e torturados.

Não quero ver a Cruz em prontos-socorros e hospitais, onde pessoas
(pobres) morrem sem atendimento.

É preciso retirar a Cruz das repartições públicas, porque Cristo não
abençoa a sórdida política brasileira, causa da desgraça dos pequenos e pobres.

Frade Demetrius dos Santos Silva - São Paulo/SP

Ao relento

Pelo andar da carruagem, Ciro Gomes não será candidato a nada: sua nova queda nas pesquisas revelam que ele deixa de ser fator decisivo para Dilma Rousseff ir ao segundo turno, ele não quer sair candidato ao governo de São Paulo porque suas chances são mínimas (e Paulo Skaf não abre mão de disputar a governança, pelo PSB) e tampouco pretende disputar, de novo, uma cadeira na Câmara Federal. A cúpula petista não está muito preocupada com qualquer que seja a decisão de Ciro, especialmente porque as mesmas últimas pesquisas apontam que, no caso de sua desistência, mais de 60% de seus supostos votos iriam para José Serra. Para não ficar ao relento, Ciro tentará antes de anunciar a desistência, negociar uma boquinha no governo de Dilma Rousseff, caso ela consiga vencer.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Lei da Gorjeta

Nada contra os garçons (muito ao contrário): só que essa anunciada Lei da Gorjeta fere, de cara, o Código do Consumidor, segundo o qual ninguém é obrigado a pagar nada além do preço de um produto ou serviço. O Aurélio diz que “gorjeta é pequena importância em dinheiro, além do devido, que se dá a alguém cujo serviço nos parece satisfatório”. Agora, tenta-se tornar obrigatório 10% e, depois das 23 horas, 20% (como se fosse bandeira 2 dos táxis). É inconstitucional e até nem poderia beneficiar uma só classe, o que permitiria a outras tantas (borracheiros, diaristas, aplicadores de injeção e, supostamente, mesmo flanelinhas) reivindicar a mesma coisa, à título de isonomia.

quarta-feira, 17 de março de 2010

NOVO ATOR NAS NEGOCIAÇÕES NO ORIENTE MÉDIO




Hoje, Lula depositará flores no túmulo de Yasser Arafat, o histórico líder palestino, que tinha as mãos inequivocamente sujas de sangue. Levará as flores que se negou a deixar sobre o campa de Theodor Hezrl, o fundador do Movimento Sionista, que nunca matou ninguém.

EIS O PERFIL ACABADO DO HOMEM QUE PRETENDE SER UM NOVO ATOR NAS NEGOCIAÇÕES NO ORIENTE MÉDIO.

PROGRAMA LÉO PEIXOTO

Zaine, Léo Peixoto, Sonia Parma e Ivete Gomes, no lançamento do DVD do Programa Léo Peixoto

Políticos, artitas, empresários, produtivos, jornalistas e muitos amigos, estiveram ontem no Boteco & Cia, para prestigiar o comunicador Léo Peixoto, no lançamento do DVD piloto de seu futuro programa de auditório, que em breve estará na TV. Noite agradável, cerveja gelada e uma noite descontraida e alegre. Parabéns Léo, desejo muito sucesso pra você !!!

Lula ouve, ouve, ouve...

Há dias, Abílio Diniz dono do grupo Pão de Açúcar resolveu elogiar Lula e proclamou: “Vocês já viram um político que ouve? O presidente Lula ouve, ouve, ouve...” Grupo de estudiosos de psiquiatria da Universidade Federal de Medicina de São Paulo, antiga Escola Paulista de Medicina, que desde o começo do governo petista, analisa o comportamento do presidente, acha que “ouvir, ouvir, ouvir” pode não significar exatamente que ele esteja prestando atenção. O mais provável é que esteja pensando em outra coisa, como acontece quando Lula é obrigado a ouvir discursos dos outros, até de Chefes de Estado de outros países e fica mexendo com as pernas, impaciente ou até tamborilando com os dedos.

terça-feira, 16 de março de 2010

Expominas - “Esse espaço é todo nosso!”

Hoje estive no café da manhã no Victory Hotel para o lançamento da camapanha de divulgação do Expominas.“Esse espaço é todo nosso!” é o lema de mobilização promovida por entidades de classe, com apoio do poder público e da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig). O objetivo é divulgar e valorizar o centro de convenções e eventos, otimizando a ocupação do espaço. Entre as presenças na solenidade estava a do diretor financeiro da Codemig, Marcelo Siqueira.


Alexandre Soares (TV Panorama), Marcelo Siqueira, diretor financeiro da CODEMIG, Maria Elisa Ordones, diretora da Tecnitur

Alexandre Silveira (Grupo Zine Cultural), Nivaldo Alvarenga (Trópico Propaganda) e Gildo Junior (Grupo Zine Cultural)

Claúdio Prenassi, Emerson Belotti, (presidente do Sindicomércio), Marco Antonio Menezes Coelho (presidente do Convention & Visitours Bureau) Aloísio Vasconcelos (presidente da ACEJF)

Nivaldo Alvarenga, Alexandre Soares, Maria Elisa Ordones e Marcelo Siqueira

Rogério de Paula (gerente comercial da TV Panorama), Emerson Belotti, Alexandre Soares, Maria Elisa Ordones e Vandir Domingos (presidente da CDL)


segunda-feira, 15 de março de 2010

LULA OFENDE O POVO ISRAELENSE

Lula chegou neste domingo a Israel e já provocou o primeiro incidente diplomático — na verdade, uma grosseria inaceitável: nega-se a depositar flores no túmulo de Theodor Herzl, fundador do Movimento Sionista e considerado pelos israelenses o idealizador do moderno estado judeu.É claro que Lula não tem a menor idéia de quem foi Herzl. Sabe o que Celso Amorim e Marco Aurélio Garcia lhe sopram aos ouvidos. E ambos devem ter dito cobras e lagartos do sionismo, equiparando-o ao racismo etc. Pintaram Herzl como o responsável original pelos atuais conflitos no Oriente Médio. E recomendaram: “Não vá à cerimônia”.O mais espantoso nessa decisão é que Lula chega a Israel dizendo-se o portador de uma nova mensagem: a da conciliação — como se outros não a tivessem tentado antes, mas vá lá… Que conciliador é este que já chega insultando aquele que é, na prática, o principal herói nacional moderno?Finalmente Lula está mostrando ao Brasil e ao mundo sua verdadeira face; a máscara está caido. Como diz o sábio ditado: Engana-se muitos por muito tempo, mas não o tempo todo! Resta saber se o povo brasileiro assim como a humanidade finalmente enxergará o mentiroso Lula!




domingo, 14 de março de 2010

Na comitiva de Lula

O presidente Lula e a primeira dama Marisa Letícia já chegaram a Israel. Em sua comitiva, pesos pesados do PIB brasileiro e representantes da comunidade judáica. Entre eles, Benjamin Steinbruch, Beno Sushodolski, Boris Tabacof, Claudio Lottenberg, Daniel Feffer, Elias Knobel, Fernando Arruda Botelho, Jack Terpins, Izak Shinfeld, Jorge Luiz de Souza Fortes, Ivo Rosset, Ivoncy Iochpe, Joseph Safra, Paulo Skaf.

sábado, 13 de março de 2010

Pelas noites.....

Lívia Fontes - Privilège

Mirela e Melize Benini com Larissa Daulis, Privilège

Cecília Delgado e Zé Alexandre Abramo - Privilège


Octávio Fagundes e Amanda Chang - Privilège

DJ Guilherme Podium

Aline Bastos e o colunista Ricardo Cavalcanti - Espaço Cultural dos Correios






sexta-feira, 12 de março de 2010

Chapas brancas

Não é apenas o jornalista Luis Nassif que foi brindado, em julho do ano passado, com um contrato de R$ 1,28 milhão para sua empresa Dinheiro Vivo, pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC), sem licitação. Há, pelo menos, outros quinze contratos semelhantes, que estão sendo investigados por uma revista semanal de informação. São os chamados chapas brancas. No caso de Nassif, a alegação foi de notória especialização que, eventualmente, pode ser constatada em seus ataques, em seu blog, ao governador José Serra e mesmo na defesa de Lula pela comparação feita entre presos políticos em Cuba e bandidos comuns.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Banco Cruzeiro do Sul patrocina Bruno Senna




O Banco Cruzeiro do Sul anunciou o apoio a Bruno Senna, e à equipe espanhola Hispania Racing Team na temporada 2010 da Fórmula 1. Assim como o piloto está estreando na competição, essa é a primeira vez que a instituição financeira, com 15 anos de experiência no mercado de concessão de crédito, estampará a sua marca em um dos maiores campeonatos automobilísticos do mundo.

O brasileiro Bruno Senna, sobrinho do tricampeão mundial Ayrton Senna, já correu na F-3, na Formula GP-2 e, no ano passado, disputou a Le Mans Series. Neste domingo (14/03), ele vai encarar a sua primeira corrida no Grande Prêmio do Bahrein, no deserto do Sakhir.

"Patrocinar um piloto como Bruno Senna é apostar em uma das jovens promessas do automobilismo mundial", disse o diretor-superintendente do Banco Cruzeiro do Sul, Luis Octavio Indio da Costa. "É uma alegria ver novamente um Senna nas pistas no mais importante campeonato mundial", completou.

A instituição financeira ofereceu ao jovem piloto uma música que poderá ser ouvida no seguinte link: www.voice.com.br/brunosenna. O autor da trilha é o compositor e instrumentalista Eduardo Souto Neto, responsável por criar o "Tema da Vitória", utilizado em todas as vitórias de pilotos brasileiros nas provas da Formula 1 e que se popularizou com as conquistas de Ayrton Senna.

Olho na vacina!

A internet está forrada de e-mails de alerta contra a vacina Tamiflu (Remédio para combater a gripe suína), alardeando que, supostamente, conteria mercúrio e óleo de esqualeno, altamente tóxicos. Já existem processos contra a Organização Mundial da Saúde, que deu seu aval à Novartis, que teria produzido, originalmente, a vacina numa unidade no México, que jamais foi testada e que já provocaria mortes em todo o mundo. Quem quiser, pode procurar no YouTube “Fema coffins” e verá cenas surpreendentes.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Eike Batista é 8° mais rico do mundo




O empresário Eike Batista é o oitavo homem mais rico do mundo, com fortuna estimada em US$ 27 bilhões, de acordo com o ranking de 2010 da revista Forbes divulgado nesta quarta-feira. Eike, que comanda o grupo EBX, ocupava a 61ª posição na lista de bilionários da Forbes do ano passado, com US$ 7,5 bilhões.

"Entrando este ano na lista dos 10 maiores bilionários está o brasileiro Eike Batista, cuja fortuna aumentou em US$ 19,5 bilhões desde o ano passado", segundo a Forbes.

A fortuna de Eike começou a ser construída no início da década dos anos 1980, com atividades de comércio de ouro e diamantes extraídos na região Amazônica.

Depois de uma diversificação dos negócios e de um processo de internacionalização na década seguinte, Eike redirecionou integralmente seus esforços para o Brasil, na crença de que o País "é um dos melhores lugares do mundo para se fazer negócio", nas palavras do próprio empresário.

Nos últimos anos, o grupo de Eike comprou direitos sobre blocos exploratórios de petróleo e gás e formou a OGX, ainda em fase pré-operacional como várias das empresas do grupo.

Outras empresas da EBX são a MMX (mineração), LLX (logística), MPX (energia) e OSX (estaleiros). Com exceção da holding e da OSX, a última em processo de abertura de capital, as demais já possuem ações negociadas na Bovespa .

Todas as companhias de propriedade de Eike têm a letra "X" no nome em referência ao sinal matemático da multiplicação.


No topo da lista da Forbes, o mexicano Carlos Slim, dono das operadoras de telecomunicações Telmex, CLARO e Embratel superou Bill Gates, fundador da Microsoft . O primeiro aparece com fortuna de US$ 53,5 bilhões, US$ 500 milhões a mais que Gates. É a primeira vez desde 1994 que o número 1 da relação não é um bilionário americano.

Em terceiro está o megainvestidor americano Warren Buffett, proprietário da Berkshire Hathaway, com US$ 47 bilhões.

Serra articula alianças partidárias


O governador de São Paulo, José Serra, garantiu à cúpula do PSDB que será mesmo candidato a presidente da República, mas reafirmou que ficará no cargo até o fim de março e não fará qualquer gesto público mais afirmativo da candidatura antes disso. Até lá, Serra vai se empenhar totalmente na articulação de alianças partidárias em Estados onde há problemas internos no PSDB ou entre os parceiros históricos da legenda, como Paraíba, Santa Catarina e Paraná.
A afirmação de Serra pode ter dado mais segurança à direção partidária, mas não reduziu a cobrança por uma antecipação do lançamento de sua candidatura, feita por dois aliados de peso, os senadores Tasso Jereissati e Jarbas Vasconcelos.

segunda-feira, 8 de março de 2010

MST - A impunidade que campeia

E a ex-guerrilheira, a eleita de lulla, quer um ESTADO forte...!!!
É só aguardar....

Vejam o vídeo.

video

Dedicado

Nas investigações sobre o desvio de milhões da Bancoop, aparece, mais uma vez, o nome de Sérgio Rosa, presidente da Previ, o maior fundo de pensão do país. Entre a Previ, Petros (Petrobras) e Funcef (Caixa Econômica Federal), o Bancoop levantou R$ 26 milhões em 2004 dos fundos de pensão controlados pelo PT e mais R$ 10,9 milhões de outros fundos de estatais. Na campanha de 2002, Sérgio Rosa, que dirigia a área de investimentos da Previ, foi acusado de só ajudar empresas que, posteriormente, fariam grandes doações à campanha. Agora, o dedicado Sérgio Rosa será substituído no comando da Previ: se Dilma for eleita, um ministério estará à sua espera.

domingo, 7 de março de 2010

“Monarquistas” e Monarquistas

Já dizia o meu avô paterno que, na vida, existem “pessoas” e pessoas. Entre os monarquistas, como entre qualquer agrupamento/sociedade humana, acontece a mesma coisa. Assim, dentre o chamado “Movimento Monárquico”, possuímos, já há muito constituídas, inúmeras espécies de monarquistas, desde os tipos mais exóticos e deprimentes aos sensatos e intelectualmente equilibrados. Vamos deixar o protocolo de lado e, assim, vamos tratar desse assunto com sinceridade.


Saia à rua e desate a perguntar aos pedestres (ao menos aos mais cultos, os metidos à sabidos – geralmente, os burgueses que quase chegaram à academia) o que é um monarquista. A primeira impressão, absoluta e totalmente eivada de preconceitos, será a mais comum de todas, o clichê por excelência, enfim a “carapuça” que nos foi imposta por um sistemático e ativo trabalho dos republicanos e pelo passivo (?) de certos monárquicos… Certo é que de tudo um pouco se ouvirá. Falarão de reacionários saudosistas, esnobes travestidos de aristocratas, orgulhosos fidalgotes almejando algum brilho na Corte ou alguma ocupação (apenas nominal, diga-se de passagem) no funcionalismo estatal (qualquer semelhança com os petistas é mera coincidência…), empedernidos genealogistas cheios de recalques, traumas e sentimentos de inferioridade arvorados em suposta superioridade, enfim, veremos tomar forma e vida a velha personagem extremamente abominada pela trilogia revolucionária francesa no ápice da sua sangüinolência: a nobilíssima sanguessuga do Antigo Regime. Querendo ou não, é essa a imagem que predomina no imaginário popular e, por vezes, na própria academia, onde se supõem “residir” a nata da intelectualidade. Todavia, é imperioso saber que, de todo, tal imagem não apresenta uma absoluta distorção do que possa ser a realidade do “Movimento Monárquico”, ao menos do atual (se é que existe um corpo unido que possa tomar tal nomenclatura).

Infelizmente, estamos abarrotados dessas figuras que, desde 1889, se autoproclamaram a nova “Corte Imperial”. Ou são uma turma de museológicos quatrocentões cujos sobrenomes, ao menos para eles, ainda representam passagem livre para o topo da questionável e fálica “pirâmide social”, ou são gente do povo que, mais por devaneios megalomaníacos e loucura em estado um tanto quanto que mais branda, apenas se achegam aos príncipes e aos bons e verdadeiros monarquistas para alcançar algum reconhecimento ou famigerado status social. As festinhas e encontros despropositados estão por aí para provar o que digo. Além do que, em estado quase que de moléstia mental, os mesmos, pedantescamente, se esforçam em apresentar uma personalidade em extremo reacionária que chegaria a chocar o próprio Maurras e seus assombrosos discípulos da Ação Francesa. A democracia lhes parece um atentado maligno, verdadeiramente uma cria do inferno pronta para acabar com seu culto extremado ao medievalismo.

Os falsos monarquistas não buscam o bem da Pátria-Mãe, antes, visam apenas e tão somente o brilho, o glamour, enfim, as plumas e firulas que os atraem tal qual a carniça atrai o urubu. Não possuem um projeto definido de Nação, não discutem as enfermidades sociais, políticas e econômicas que viralmente atacam nossas instituições e, dia após dia, nos afastam de nossa honrosa posição: a de Florão da América. Olham para o povo de cima para baixo e, entre si, gastam da sua falsa verbosidade a destilar meia dúzia de palavras de ordem quando necessário for. Da monarquia não conhecem nada além do protocolo e das convenções sociais, gastando lisonjeiras palavras e caçando comendas aqui e acolá. Estão entupidos de honras palacianas, de servilismo, de mesquinharias das quais execravelmente se ufanam. Esse tipo não é, visceral e verdadeiramente, monarquista. É uma transmutação mal feita, um clone inumano, uma falha, um monstro ideológico. Eles são tão monárquicos quanto Hitler era um rabino. Os falsos monarquistas são a causa primeira de não avançarmos suficientemente em busca do grande Brasil. Como eu disse há pouco tempo, são estes, e não os republicanos, esquerdistas, comunistas, ateus, liberais, laicistas, abortistas e toda sorte de “hereges” os principais inimigos da Causa, antes, são muitos daqueles que fazem parte dos nossos círculos monárquicos, que partipam e se congregam em nossas reuniões, fazem alarde de um sonho no qual não crêem além daquilo que lhes sirva. Portanto, tais monárquicos são, definitivamente, os piores adversários do Movimento Monárquico, pois nos atacam de dentro para fora, corroem nossas possibilidades e consomem nossos sonhos desde o cerne, contribuindo para a vitória das imensas hordas dos dilapidadores da Nação. Por conta dessa propaganda desvirtuada, os monarquistas descentes e sóbrios acabam “tomando nome” por conta dos referidos atos estapafúrdios desses verdadeiros idiotas que pululam por aí… Como diz o sábio provérbio popular: louco e tiririca se acham em qualquer lugar…

Já os verdadeiros monarquistas, gastam do seu tempo, desinteressadamente, pelo triunfo da Causa. Trabalham, escrevem, discutem, lêem, enfim, divulgam e pregam com ardor e amor no coração, tal qual profetas, esse nosso Ideal-Mor. Buscam tão somente a maior grandeza do Brasil e não se importam com as afrontas que recebem, posto que não se deixam atemorizar pelo agigantamento das forças verdadeiramente malignas que os impele a abandonar a Causa. Vivem em busca do Reino de Deus e vivem em defesa da Civilização Cristã. Não possuem estereótipos artificiais gravados em si, antes, com retidão de caráter, negam todos os excessos, sejam eles oriundos da esquerda ou da direita. Se uma palavra pudesse defini-los com precisão, essa palavra seria: Equilíbrio. Um verdadeiro monarquista é equilibrado; sabe diferenciar o certo do errado e, muito embora tenha posições firmes, democraticamente sabe conciliar todos os coloridos políticos e do pensamento humano em busca de algo maior: o bem geral e comum.

Um verdadeiro monarquista olha para o Ipiranga com saudades de um tempo que nem mesmo viveu; ele canta o hino nacional com o coração apertado e jubiloso ao mesmo tempo, por ter ciência do atual estado de sua Pátria mas, ao mesmo tempo, cultivar em si a esperança de que, “quando o imperador voltar, as coisas vão melhorar.” Ele carrega a divisa da nossa liberdade no espírito. Independência ou morte é um grito que para ele não está restrito à proclamação do Fundador do Império. Seu sonho é um Brasil justo, equilibrado social, política e economicamente; um país sem favelas, sem fome, sem violência, com uma população educada, consciente e ativa no cumprimento do seu papel de povo (já que hoje não passa de “massa”, e de manobra). Um verdadeiro monarquista se apropria, com o consentimento do Céu, do mais glorioso e bendito título imperial: Defensor Perpétuo do Brasil. Ele ama, ele defende, ele luta, mesmo sabendo que, por enquanto, é tudo uma doce utopia. Por isso, ele é consciente e tem os pés no chão, sabendo que, mesmo que talvez não veja a “coroa bragantina dos trópicos” sendo cingida, ele terá contribuído para a maior de todas as causas: a verdade. Será que, um dia, quando o verdadeiro monárquico que dorme em cada brasileiro acordar, tudo melhorará? Responda a si mesmo.

Por isso, lembrem-se: existem “monarquistas” e monarquistas. Mutatis mutandis, os primeiros são os chupins cortesãos da corte Bourbônica, os segundos são os santos e heróis da Vendéia.

Que um dia se brade: Viva o Imperador!

© 2010, Por Dayher Gimenez. Todos os direitos reservados. Portal M1

quinta-feira, 4 de março de 2010

Privilège - Festa de reabertura hoje à noite


Noites lúdicas, surpreendentes, imprevisíveis, mágicas, inesquecíveis! Hoje, quinta-feira, só para convidados, o Privilège Juiz de Fora abre sua temporada 2010 com os tops: Nalaya (Vocal Live – Ibiza), Marquinhos SP e Sandro Valente. Na pista do Café da Mata, quem irá comandar as pickups é o deejay Marquinhos Vovô.

quarta-feira, 3 de março de 2010

Não obrigatoriedade da gorjeta é divulgada

Bares, restaurantes e similares têm que manter afixado informativo em local visível sobre a não obrigatoriedade do pagamento da taxa de serviços de 10%.
Lei do vereador Pastor Carlos (PRB) está em vigor desde dezembro de 2009 esclarecendo sobre a não obrigatoriedade da gorjeta.
O informativo mede 33 centímetros de largura por 27 de altura. A informação deve constar ainda nas publicidades dos estabelecimentos e nos cardápios.O descumprimento da lei, que recebeu o número 11.903, implica na aplicação de multa de R$ 500. Em caso de reincidências, o valor será dobrado progressivamente.

terça-feira, 2 de março de 2010

Almoço na sede da AMIL

William Xavier de Carvalho, Aloísio Vasconcelos Barbosa, Alfieri Casalecchi, diretor comercial da Amil, e Claudio Prenassi, no almoço na suntuosa sede da AMIL na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro na semana passada.

VI Almoço Empresarial é sucesso

O VI Almoço Empresarial, promovido pela Associação Comercial e Empresarial de Juiz de Fora - ACEJF, contou com a participação de 82 empresários. Entre às muitas presenças estavam: Aurélio Marangon, Diogo Garcia, Renan Parrot, Paulo Roberto Lopes, Ulisses Sagioro, Amaury Delamura, Ueslei Bonin, Luciano Galil, José Carlos Leite de Alvarenga, Claudio Prenassi, Denis Orrú, Alexandre Silveira, Emerson Belotti, Guilherme Duarte, Gilson Peixoto, Wagner Nepomuceno, Iuri Giradi, Luiz Geraldo Soranço, William Xavier de Carvalho, Rodrigo Medina, Luiz Sefair, Leomar Delgado, Desirré Curi, Marcelo Sepulveda, Tereza Rampineli, Andréia Castilho, Antonio Rotondo.
Confiram algumas fotos as fotos.
O Presidente da ACEJF e o diretor da Gráfica América Wagner Nepomuceno
Diogo Garcia, diretor do Grupo Emídia, William Xavier, diretor do WXC Banco de Negócios e Alexandre Silveira diretor do Grupo Zine Cultural

Dilermando Galvão, Carlos Alberto e Adilson Pereira (Unimed)

Antônio Rotondo, diretor da Novus Contabilidade e o Luiz Geraldo Soranço presidente da Agência de Desenvolvimento de Juiz de Fora e Zona da Mata

Renan Parrot, gerente geral da TV Alterosa e Alexandre Silveira, diretor do Grupo Zine Cultural

Denis Orrú, diretor da Artwork Propaganda, Guilherme Duarte, proprietário da rede Casa do Biscoito e Paulo Cesar Sarmento

José Carlos Leite de Alvarenga, do escritório Galil Advogados Associados e Luiz Otávio Galil diretor do Grupo Bahamas

Andréia Castilho, Aurélio Marangon, presidente do Centro Industrial e Teresa Rampinelli

Gilson Peixoto, diretor do Grupo ABC, Paulo Roberto Lopes, diretor do Grupo Bahamas e Marcelo Sepulveda, diretor do Sindicómercio