sábado, 30 de janeiro de 2010

Super Cachê


A cervejaria Schincariol, irá pagar 700 mil dólares à Paris Hilton para a socialite circular pelo camarote da cervejaria no Sambódromo nos dois dias de desfile das escolas de samba e participar de uma campanha publicitária da Nova Schin.

Crimes

Depois que foram divulgados vídeos mostrando Miguel Serpa, um dos líderes do MST em Bauru, interior de São Paulo, convocando os sem-terra a ocupar e destruir a fazenda da Cutrale, empresa de suco de laranja (foram todos presos), descobre-se agora que ele comandava a Associação Regional de Cooperação e Reforma Agrária, que havia assinado convenio com o Incra e recebido R$ 222 mil. O que nem chega a ser surpresa: em 2006, a Associação Nacional de Apoio à Reforma Agrária, comandada por Bruno Maranhão, amigo de Lula, invadiu, destruiu e deixou feridos na Câmara Federal. E de 1999 a 2006, havia recebido R$ 5,7 milhões do governo federal. De 2003 para cá, entidades semelhantes já receberam mais de R$ 162 milhões da administração petista.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Naufrágio

Enquanto o produtor Luis Carlos Barreto anuncia uma caravana nacional para exibir o filme Lula, o filho do Brasil a preços populares, em cidades sem salas de cinema (nos anos 50, era com exibição de filmes em praças de bairros mais distantes das grandes cidades, que os políticos da época faziam campanha) para aumentar o volume de espectadores (hoje, está em 700 mil), na internet proliferam gozações de todos os tipos em cima do naufrágio da produção. Uma delas diz que Lula vai lançar o Bolsa-Pipoca: quem assistir o filme ganha um saco de pipocas e, no fundo, um santinho de Dilma; outra, propõe novo nome para a saga, Lula, o filho do barril.

Alckmin 2014


Em suas andanças pelo interior de São Paulo, Geraldo Alckmin, que tem certeza de que será escolhido candidato do PSDB ao governo, já fala de seus planos para 2014, caso José Serra perca as eleições presidenciais para Dilma Rousseff. Alckmin acredita que, eleito, fará uma grande administração e será o “candidato natural” dos tucanos ao Planalto, até lembrando que Serra estará com 72 anos. Alckmin repete o que Lula tem dito a seus próprios companheiros de PT: inspirado em sua trajetória eleitoral, o presidente acha que bons nomes devem concorrer sempre porque “um dia, leva”. Aqui em Minas Gerais, o governador Aécio Neves tem confessado que seus planos não são muito diferentes: vencendo no Senado, transforma-se no principal nome da oposição e igualmente, seria “candidato natural” à Presidência em 2014, caso Serra não consiga se eleger.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Itamar Franco discute amanhã futuro político


O ex-presidente Itamar Franco (PPS) vai se reunir amanhã com a executiva estadual do partido, em Minas Gerais, para discutir o seu futuro político.

Especula-se a hipótese de Itamar concorrer ao Senado ou ser o vice na corrida ao Palácio da Liberdade numa chapa encabeçada pelo atual vice-governador, Antonio Anastasia (PSDB) nas eleições de outubro.

Há ainda uma remota possibilidade de Itamar compor com uma chapa com o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), à sucessão do presidente Lula.

O futuro do ex-presidente entrou na pauta de discussão do PPS depois que Aécio Neves anunciou, no final de 2009, que não seria pré-candidato tucano na disputa ao Palácio do Planalto.

Na ocasião, o governador disse que trabalharia para eleger Anastasia, concorrendo ao Senado. Se Aécio seguir por este caminho, crescem as chances de Itamar ser o vice de Anastasia.

O presidente nacional do PPS, Roberto Freire, garantiu que o ex-presidente terá carta branca na legenda para concorrer a qualquer cargo. "Itamar é o nosso plano A. Mesmo assim, ele já manifestou o interesse em permanecer na esfera de Minas", assegurou Freire.

O ex-presidente se filiou ao PPS, em julho de 2009, e desde então defendia a candidatura de Aécio à Presidência.


Festa nesta sexta-feira dia 29




Na próxima sexta-feira (29), o segundo piso do Privilege viaja no túnel do tempo e desembarca na década de 80. Os melhores hits da época que fizeram uma geração inteira sentir saudades, serão tocados pelo DJ Vovo. Os convidados estão sendo selecionados pelas novas "promoters" Desirée Couri, Silvana Bravo, Valéria Machado e Rose Ganimi que já estão agitando a turma vip. Diversão garantida, gente querida e música boa, é a Geração Coca-Cola .

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

WALT DISNEY (GENIAL) Vejam, muito bom !!!

video

Memória do Holocausto



Nesta quarta-feira (27), Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, diversas lideranças políticas, religiosas e sociais, incluindo o presidente Luiz , estarão em visita ao Recife. A Confederação Israelita do Brasil e a Federação Israelita de Pernambuco são responsáveis pela organização do evento que vai reunir cerca de 500 pessoas na Primeira Sinagoga das Américas, a Kahal Zur Israel, fundada no século 17, na capital pernambucana.

Neste mesmo dia, serão inauguradas duas exposições internacionais que ocuparão imóveis vizinhos à Sinagoga: Desenhos das Crianças de Terezín e Anne Frank - Uma História para Hoje.

sábado, 23 de janeiro de 2010

Vaia


Amigo do BLOG, com acesso direto à cúpula tucana de JF me disse hoje a tarde,que o eco das vaias no bairro Santa Luzia, anteontem, reverbera até agora nos ouvidos do prefeito Custódio Matos e do secretário estadual de Saúde, Marcos Pestana.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Adesivo

Em Belo Horizonte, alguns carros circulam com um adesivo onde se lê:
“Agora ou mais para frente, Aécio presidente”.

ACEJF comemora sucesso da campanha S.O.S Haiti

Acabei de falar por celular com o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Juiz de Fora (ACEJF), ele estava radiante com o resultado alcançado pela campanha S. O.S Haiti.
Iniciada pela ACEJF à 5 dias atrás, a campanha já arrecadou mais de 2 milhões e quinhentos mil reais. O extrato foi apresentado hoje à tarde pelo gerente do Banco do Brasil, ao presidente da centenária entidade. A conta no BB, foi aberta exclusivamente para a campanha, ontem a campanha ganhou o apoio da OAB Juiz de Fora. Na semana que vem outras entidades de Juiz de Fora irão aderir.

Novo plano de saúde

O presidente da Amil, Edson de Godoy Bueno, que tem uma fantástica história de vida e carreira, que promove sempre um super-reveillon em sua mansão em Búzios e que comprou (pessoa física) o Hospital Nove de Julho, em São Paulo, deverá ampliá-lo e dotá-lo de todos os recursos modernos de atendimento. Quer superar Einstein e Sírio-Libanês, inclusive em espaço: em São Paulo, está comprando toda a área vizinha do Nove de Julho para maior expansão. Na Amil, são atendidos mais de 2,8 milhões de beneficiários e seu novo projeto é um plano de saúde mais sofisticado e mais barato do que Omint e Lincx, embora na mesma faixa. Nome já tem: One.

Carimbo de anti-Lula

O PT pode até chamar Sérgio Guerra de “jagunço de José Serra”, embora ele diga que “é vaqueiro” (o rótulo inspirou uma piada de FHC, que brincou com o senador pernambucano e disse que “ele havia sido rebaixado de coronel para jagunço”) que o pré-presidenciável tucano não vai partir para o conforto direto. Ao contrário, irá empurrando com a barriga. Não quer levar o carimbo de anti-Lula, como pretende a ministra Dilma Rousseff. Enquanto isso, quer tentar construir alianças. Por enquanto, conta com o DEM (abalado com o propinoduto de José Roberto Arruda no DF) e com o PPS, de Roberto Freire. E o PSDB é forte em São Paulo (29,5 milhões de eleitores), Minas (14,1 milhões) e Goiás (3,9 milhões) e Serra conta com dissidências do PMDB como o prefeito José Fogaça, de Porto Alegre e do senador Jarbas Vasconcelos, de Pernambuco, além da amizade colorida de Fernando Gabeira (PV), no Rio.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Resistiu!

Click na foto para ampliar

Um grande crucifixo (foto) foi o que restou na igreja Sacré Couer de Tugeau, em Porto Príncipe, destruída pelo terremoto do dia 12 no Haiti. No local, estava, entre outros, a médica e militante católica Zilda Arns, que morreu. Mantenham a peça longe do Programa Nacional de Direitos Humanos, de Lula, Dilma Rousseff e Paulo Vannuchi.
Resistiu ao terremoto, mas pode não resistir à estupidez.

NOTA À IMPRENSA: Dilma mente !

O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), emitiu uma dura nota criticando afirmações recentes da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, que, circunstancialmente, também é ministra da Casa Civil. Segundo a petista, se os tucanos ganharem a eleição em 2010, vão extinguir o PAC e o Bolsa Família. “Dilma mente”, reage Sérgio Guerra. Leia íntegra da nota:

NOTA À IMPRENSA

Dilma Rousseff mente. Mentiu no passado sobre seu currículo e mente hoje sobre seus adversários. Usa a mentira como método. Aposta na desinformação do povo e abusa da boa fé do cidadão.

Mente sobre o PAC, mente sobre sua função. Não é gerente de um programa de governo e, sim, de uma embalagem publicitária que amarra no mesmo pacote obras municipais, estaduais, federais e privadas.

Mente ao somar todos os recursos investidos por todas essas instâncias e apresentá-los como se fossem resultado da ação do governo federal. Apropria-se do que não é seu e vangloria-se do que não faz.

Dissimulada, Dilma Rousseff assegurou à Dra. Ruth Cardoso que não tinha feito um dossiê sobre ela. Mentira! Um mês antes, em jantar com 30 empresários, informara que fazia, sim, um dossiê contra Ruth Cardoso.

Durante anos, mentiu sobre seu currículo. Apresentava-se como mestre e doutora pela Unicamp. Nunca foi nem uma coisa nem outra. Além de mentir, Dilma Rousseff omite. Esconde que, em 32 meses, apenas 10% das obras listadas no PAC foram concluídas - a maioria tocada por estados e municípios. Cerca de 62% dessa lista fantasiosa do PAC - 7.715 projetos- ainda não saíram do papel.

Outra característica de Dilma Rousseff é transferir responsabilidades. A culpa do desempenho medíocre é sempre dos outros: ora o bode expiatório da incompetência gerencial são as exigências ambientais, ora a fiscalização do Tribunal de Contas da União, ora o bagre da Amazônia, ora a perereca do Rio Grande do Sul.

Assume a obra alheia que dá certo e esconde sua autoria no que dá errado. Dilma Rousseff se escondeu durante 21 horas após o apagão. Quando falou, a ex-ministra de Minas e Energia, chefe do PAC, promovida a gerente do governo, não sabia o que dizer, além de culpar a chuva e de explicar que blecaute não é apagão.

Até hoje, Dilma Rousseff também se recusou a falar sobre o Plano Nacional de Direitos Humanos, com todas as barbaridades incluídas nesse Decreto, que compromete a liberdade de imprensa, persegue as religiões, criminaliza quem é contra o aborto e liquida o direito de propriedade. Um programa do qual ela teve a responsabilidade final, na condição de ministra-chefe da Casa Civil.

Está claro, portanto, que mentir, omitir, esconder-se, dissimular e transferir responsabilidades são a base do discurso de Dilma Rousseff. Mas, ao contrário do que ela pensa, o Brasil não é um país de bobos.

Senador Sérgio Guerra
Presidente Nacional do PSDB
Brasília, 20 janeiro de 2010

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

ASCENSÃO E QUEDA DE UM REBELDE

Nem só de comédias de bobagens vive a
Campanha de Popularização do Teatro de JF
Nessa semana tem uma boa oportunidade de refletir com humor sobre a história recente do Brasil.

"ASCENSÃO E QUEDA DE UM REBELDE"

Com Gueminho Bernardes e Adelino Benedito
dia 23, sábado, 22h no Crize Teatro e Bar
dia 24, domingo, 20h30 no CCB Mascarenhas


Mas se você quer bobagens, as melhores estão aqui:

"RI QUEM PODE, FAZ RIR QUEM SABE"

A seleção dos esquetes que o TQ criou em 2009:
"Esses pobres moços", "O Parque Halfeld é Nosso", "Ludgero e Lidiane"
entre outros.
dia 23, sábado, 18h30 no Pró-Música.


Qualquer ingresso a R$ 5,00 no posto de venda da APAC no Pq Halfeld
(das 10 às 19h)
aproveite e garanta seu ingresso.

Naufrágio

Como um presidente com 80% de popularidade e que seria reeleito, hoje, em primeiro turno, contra qualquer candidato, não consegue estimular os brasileiros a assistir Lula, o filho do Brasil? O filme corre o risco de não atingir nem o primeiro milhão de espectadores. Até agora, nas três primeiras semanas, quase chegou aos 650 mil. Avatar e Alvin e os Esquilos 2, por outro lado, estão estourando nas bilheterias.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Tropa de Elite 2


Os bastidores do filme "Tropa de Elite 2" vai ganhar um blog que entra no ar nesta segunda-feira. O filme, dirigido por José Padilha com produção de Marcos Prado, começou a ser filmado este mês e também vai estar em comunidades no Facebook, no Orkut, no Flickr, no YouTube, no Twitter e no Myspace. É o tal do marketing virtual...

domingo, 17 de janeiro de 2010

Terremoto humano

O Haiti pede todos os esforços que estiverem ao nosso alcance. Mas nem aquela tragédia terá feito o número de mortos que um terremoto humano no Sudão chamado Omar Hassan al-Bashir já fez. Este é o nome do ditador daquele país: responde por, ATENÇÃO!!!, 300 MIL MORTOS. E o Brasil de Lula e Celso Amorim, não o nosso, nega-se sistematicamente a votar contra o déspota na ONU. Ao contrário: já atuou para protegê-lo. Por quê? Porque quer o apoio dos países islâmicos, especialmente árabes, para ser membro permanente do Conselho de Segurança. Entenderam?

Rottweiler sem dentes

Leiam um texto intitulado “Rottweiler sem dentes”, que está hoje na Folha.

O Brasil mudou de complexo. Antes, abrigava n’alma o de vira-lata, segundo Nelson Rodrigues, o notável escafandrista da alma brasileira. Agora, na crise haitiana, mostra complexo de rottweiler.
Pena que não tenha dentes. Refiro-me à ciumeira de autoridades brasileiras em relação a rápida e decidida ação do governo norte-americano. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, reage com pura masturbação diplomática, ao dizer que se trata de “assistencialismo unilateral”.
Qualquer pessoa que não tenha perdido o senso comum sabe que os haitianos não estão preocupados com a cor do assistencialismo, se unilateral, bilateral, multilateral. Querem que funcione.
No aeroporto da capital, está funcionando, conforme relato desta Folha: “Depois que os americanos assumiram o aeroporto, os voos aumentaram e também o envio de medicamentos e alimentos”.
É claro que precisa haver coordenação, como cobra o chanceler Celso Amorim, mas é bobagem resmungar sobre os Estados Unidos assumirem um papel mais relevante que o das forças da ONU. É brigar com os fatos da vida. Os EUA podem mais que qualquer outro país, o que é escandalosamente óbvio.
Ajuda-memória aos resmungões, extraída do texto de Sérgio Dávila: os EUA enviaram vários navios da Guarda Costeira com helicópteros, o porta-aviões Carl Vinson, com 19 helicópteros, 51 leitos hospitalares, três centros cirúrgicos e capacidade de tornar potáveis centenas de milhares de litros de água por dia.
Nos próximos dias, chegam mais dois navios com helicópteros e uma força-anfíbia com 2.200 fuzileiros e um navio-hospital.
O Brasil tem condições de chegar a um décimo disso? Não. Então que pare de rosnar e reforce o seu pessoal no Haiti, que fez e está fazendo notável trabalho, dentro de seus limites bem mais modestos.

sábado, 16 de janeiro de 2010

Não gosta do que escrevo? Paciência! Vai pescar!


Ontem uma pessoa, que se diz leitor do Blog me mandou um e-mail “FAKE”, perguntando porque eu ataco tanto o governo Lula, sendo que o presidente tem mais de 80% de aprovação. A resposta vai por aqui, já que o mesmo se diz leitor do BLOG. Lula ter uma grande aprovação junto, digamos, à grande massa parece-me mais do que compreensível: é até justificável. No período de 16 anos, ele ficou com a fase da colheita dos ajustes, alguns dolorosos, feitos nos oito primeiros anos do governo FHC. É claro que até os acadêmicos petistas sabem disso. Omitem a verdade por picaretagem intelectual, por vigarice moral. Gente como esse "leitor”, com acesso à internet, com tempo para vir encher o meu saco, com disponibilidade para fazer pesquisa, bem, esse compõe a horda dos imperdoáveis. O engraçado é que essas pessoas nem se ocupam em fazer uma pequena pesquisa para saber se estão certos ou errados. Atiram primeiro. E nem tentam perguntar depois. Não gosta do que escrevo? Paciência! Vai pescar! Quem visita este blog entra para ler o que escrevo, não para necessariamente concordar comigo.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

ACEJF lança campanha de ajuda ao Haiti

Sensibilizada com as vitimas do terremoto no Haiti, a Associação Comercial e Empresarial de Juiz de Fora, lança na próxima segunda-feira, dia 18, a campanha S.O.S Haiti de ajuda humanitária às vítimas atingidas no país da América Central esta semana. Foi aberta uma conta no Banco do Brasil (BB) para as pessoas fazerem doações em dinheiro, segundo o presidente da ACEJF, Aloísio Vasconcelos Barbosa. As doações em dinheiro podem ser depositadas na conta bancária aberta exclusivamente para a campanha e serão destinadas às ações de socorro imediato, reconstrução e recuperação das condições de vida do povo haitiano.
As doações podem ser feitas na conta S. O .S Haiti, no Banco do Brasil, agência 1606-3 Conta corrente 91000-7
Mais informações:
Assessoria de Imprensa ACEJF
Tel: (32) 3215-2123e-mail: imprensa@acejf.com.br
Site: www.acejf.com.brEnd: Praça Dr. João Penido, 48/52 CentroCep: 36010-130 Juiz de Fora - MG

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Almanaque

Um pouco da história recente do jornal Le Monde que, há semanas, considerou Lula a "personalidade do ano" do planeta: ainda é o órgão oficial do Partido Comunista Francês, não tem hoje maior importância (nem circulação) para o público-leitor de lá e é considerado quase um blog impresso do partido que, nas últimas eleições, conseguiu eleger apenas dois deputados. Mais: há um ano e meio, o Le Monde teria sido salvo da falência por generosidade de Hugo Chávez, que está racionando energia elétrica na Venezuela e que poderia ter doado 50 milhões de euros para o jornal através de uma entidade chamada Fondation France-Liberté. Foi criada por Danielle Mitterrand, tem uma filial em Belo Horizonte e arrecada fundos no Brasil para ajudar o Partido Comunista Francês a se manter de pé.

Quem quer ver o filme de Lula?


Continua reinando o maior silêncio com relação ao filme Lula o Filho do Brasil. Lauro Jardim, da revista Veja, afirma agora que o fracasso se deu também no ABC em São Paulo. Ou seja, deu-se o inesperado. Agora vamos tentar analisar:


ou a historia de Lula é mais do que conhecida de todos, porque o próprio presidente se encarrega de contar capítulos dela no meio de seus discursos populistas, ou o filme é fraco em contar esta história, ou o povo acha mais divertido ir ver Avatar ou Alvin e os Esquilos 2 nas horas de folga. Ou todas as anteriores...

De qualquer maneira, a performance do filme desaponta, para dizer o mínimo. Os críticos não tiveram coragem de dizer exatamente o que pensam da obra. Mas o boca a boca é mais forte. E eu não conheço ninguém que tenha saído do cinema satisfeito.

Eu estava morrendo de pena de Fabio Barreto, que se acidentou bem no momento em que iria colher os louros, nacionais e internacionais, pelo filme. Mas já estou achando que, de certa maneira, ele foi poupado desta decepção.

Guerra é guerra


O Ministério da Defesa já está devidamente avisado: a indústria aeronáutica americana não fornecerá mais os componentes do Super-Tucano, caso o caça a ser comprado pelo governo brasileiro seja mesmo o Rafale francês. Os americanos até aceitam que o escolhido não seja o F-18, da Boeing, desde que o Brasil compre o sueco Gripen, onde têm participação importante em componentes. O Rafale, para eles, é inaceitável e se Lula teimar em bater o pé, terá de resolver os futuros problemas da Embraer, que perderá seus componentes americanos para seus tucanos. Quem viver, verá.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Juiz de Fora ganha mais dois voos diários para SP

Aloísio Vasconcelos Barbosa, presidente da Associação Comercial e Empresarial de Juiz de Fora, esteve reunido ontem, na sede histórica da entidade com o representante comercial da Pantanal Linhas Aéreas, Moacir Miranda. Na reunião o representante da empresa, reafirmou a intenção da TAM, que comprou recentemente a Pantanal, em renovar a frota de aviões e expandir a oferta de vôos em Juiz de Fora. Outro beneficio que será disponibilizado para os usuários da Pantanal em Juiz de Fora, será o Multiplus Fidelidade, programa de fidelização do Grupo TAM, no qual será possível acumular e trocar pontos por produtos ou serviços de diferentes empresas, de bilhetes aéreos às compras do dia a dia. Juiz de Fora também ganhará a partir de amanhã, dia 14, mais dois voos diários para São Paulo, com saídas às 8:15 e às 15:00 horas. Agora o melhor deverá ser anunciado após o Carnaval, passagens aéreas mais baratas para os juizforanos, assim promete a direção da TAM.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

TODAS AS PESSOAS MORTAS POR TERRORISTAS DE ESQUERDA

A IMPRESSIONANTE COVARDIA DE LAMARCA


E continua a lista com os nomes das vítimas dos terroristas de esquerda. Neste grupo, destaca-se a impressionante covardia de
Carlos Lamarca, o grande herói do panteão da mistificação. Sabe-se que era um assassino frio. Mas prestem atenção às circunstâncias da morte de Alberto Mendes Junior, a vítima nº 56. Vejam o quanto Lamarca era também perverso.


51 - 17/01/70 - José Geraldo Alves Cursino - Sargento PM - São Paulo / SP
Morto a tiros por terroristas.

52 - 20/02/70 - Antônio Aparecido Posso Nogueró - Sargento PM - São Paulo
Morto pelo terrorista Antônio Raimundo de Lucena quando tentava impedir um ato terrorista no Jardim Cerejeiras, Atibaia/SP.

53 - 11/03/70 - Newton de Oliveira Nascimento - Soldado PM - Rio de Janeiro
No dia 11/03/70, os militantes do grupo tático armado da ALN Mário de Souza Prata, Rômulo Noronha de Albuquerque e Jorge Raimundo Júnior deslocavam-se num carro Corcel azul, roubado, dirigido pelo último, quando foram interceptados no bairro de Laranjeiras- RJ por uma patrulha da PM. Suspeitando do motorista, pela pouca idade que aparentava, e verificando que Jorge Raimundo não portava habilitação, os policiais ordenaram-lhe que entrasse no veículo policial, junto com Rômulo Noronha Albuquerque, enquanto Mauro de Souza Prata, acompanhado de um dos soldados, iria dirigindo o Corcel até a delegacia mais próxima. Aproveitando-se do descuido dos policiais, que não revistaram os detidos, Mário, ao manobrar o veículo para colocá-lo à frente da viatura policial, sacou de uma arma e atirou, matando com um tiro na testa o soldado da PM Newton Oliveira Nascimento, que o escoltava no carro roubado. O soldado Newton deixou a viúva dona Luci e duas filhas menores, de quatro e dois anos.

54 - 31/03/70 - Joaquim Melo - Investigador de Polícia - Pernambuco
Morto por terroristas durante ação contra um “aparelho”

55 - 02/05/70 - João Batista de Souza - Guarda de Segurança - SP
Um comando terrorista, integrado por Devanir José de Carvalho, Antonio André Camargo Guerra, Plínio Petersen Pereira, Waldemar Abreu e José Rodrigues Ângelo, pelo Movimento Revolucionário Tiradentes (MRT), e mais Eduardo Leite (Bacuri), pela Resistência Democrática (REDE), assaltaram a Companhia de Cigarros Souza Cruz, no Cambuci/SP. Na ocasião Bacuri assassinou o guarda de segurança João Batista de Souza.

56 - 10/05/70 - Alberto Mendes Junior- 1º Tenente PM - SP
Esta é uma das maiores expressões da covardia e da violência de que era capaz o terrorista Carlos Lamarca. No dia 08/05/70, 7 terroristas, chefiados por ele, estavam numa pick-up e pararam num posto de gasolina em Eldorado Paulista. Foram abordados por policiais e reagiram a bala, conseguindo fugir. Ciente do ocorrido, o Tenente Mendes organizou uma patrulha. Em duas viaturas, dirigiu-se de Sete Barras para Eldorado Paulista. Por volta das 21h, houve o encontro com os terroristas, que estavam armados com fuzis FAL, enquanto os PMs portavam o velho fuzil Mauser modelo 1908. Em nítida desvantagem bélica, vários PMs foram feridos, e o Tenente Mendes verificou que diversos de seus comandados estavam necessitando de urgentes socorros médicos. Julgando-se cercado, Mendes aceitou render-se desde que seus homens pudessem receber o socorro necessário. Tendo os demais componentes da patrulha permanecido como reféns, o Tenente levou os feridos para Sete Barras.

De madrugada, a pé e sozinho, Mendes buscou contato com os terroristas, preocupado que estava com o restante de seus homens. Encontrou Lamarca, que decidiu seguir com seus companheiros e com os prisioneiros para Sete Barras. Ao se aproximarem dessa localidade, foram surpreendidos por um tiroteio, ocasião em que dois terroristas - Edmauro Gopfert e José Araújo Nóbrega - desgarraram-se do grupo, e os cinco terroristas restantes embrenharam-se no mato, levando junto o Tenente Mendes. Depois de caminharem um dia e meio na mata, os terroristas e o tenente pararam para descansar. Carlos Lamarca, Yoshitame Fujimore e Diógenes Sobrosa de Souza afastaram-se e formaram um “tribunal revolucionário”, que resolveu assassinar o Tenente Mendes. Os outros dois, Ariston Oliveira Lucena e Gilberto Faria Lima, ficaram vigiando o prisioneiro.

Poucos minutos depois, os três terroristas retornaram. Yoshitame Fujimore desfechou-lhe violentos golpes na cabeça, com a coronha de um fuzil. Caído e com a base do crânio partida, o Tenente Mendes gemia e se contorcia em dores. Diógenes Sobrosa de Souza desferiu-lhe outros golpes na cabeça, esfacelando-a. Ali mesmo, numa pequena vala e com seus coturnos ao lado da cabeça ensangüentada, o Tenente Mendes foi enterrado. Em 08/09/70, Ariston Lucena foi preso pelo DOI-CODI e apontou o local onde o tenente estava enterrado.

57 - 11/06/70 - Irlando de Moura Régis - Agente da Polícia Federal - RJ
Foi assassinado durante o seqüestro do embaixador da Alemanha, Ehrendfried Anton Theodor Ludwig Von Holleben. A operação foi executada pelo Comando Juarez Guimarães de Brito. Participaram Jesus Paredes Soto, José Maurício Gradel, Sônia Eliane Lafóz, José Milton Barbosa, Eduardo Coleen Leite (Bacuri), que matou Irlando, Herbert Eustáquio de Carvalho, José Roberto Gonçalves de Rezende, Alex Polari Alvarenga e Roberto Chagas da Silva.

58 - 15/07/70 - Isidoro Zamboldi - segurança - SP
Morto pela terrorista Ana Bursztyn durante assalto à loja Mappin.

59 - 12/08/70 - Benedito Gomes - Capitão do Exército - SP
Morto por terroristas, no interior do seu carro, na Estrada Velha de Campinas.

60 - 19/08/70 - Vagner Lúcio Vitorino da Silva - Guarda de segurança - RJ
Morto durante assalto do Grupo Tático Armado da organização terrorista MR-8 ao Banco Nacional de Minas Gerais, no bairro de Ramos. Sônia Maria Ferreira Lima foi quem fez os disparos que o mataram. Participaram, também, dessa ação os terroristas Reinaldo Guarany Simões, Viriato Xavier de Melo Filho e Benjamim de Oliveira Torres Neto, os dois últimos recém-chegados do curso em Cuba.

61 - 29/08/70 - José Armando Rodrigues - Comerciante - CE
Proprietário da firma Ibiapaba Comércio Ltda. Após ter sido assaltado em sua loja, foi seqüestrado, barbaramente torturado e morto a tiros por terroristas da ALN. Após seu assassinato, seu carro foi lançado num precipício na serra de Ibiapaba, em São Benedito, CE. Autores: Ex-seminaristas Antônio Espiridião Neto e Waldemar Rodrigues Menezes (autor dos disparos), José Sales de Oliveira, Carlos de Montenegro Medeiros, Gilberto Telmo Sidney Marques, Timochenko Soares de Sales e Francisco William.

62 - 14/09/70 - Bertolino Ferreira da Silva - Guarda de segurança - SP
Morto durante assalto praticado pelas organizações terroristas ALN e MRT ao carro pagador da empresa Brinks, no Bairro do Paraíso em são Paulo.

63 - 21/09/70 - Célio Tonelly - soldado da PM - SP
Morto em Santo André. Quando de serviço em uma rádio-patrulha, tentou deter terroristas que ocupavam um automóvel.

64 - 22/09/70 - Autair Macedo - Guarda de segurança - RJ
Morto por terroristas, durante assalto a empresa de ônibus Amigos Unidos

65 - 27/10/70 - Walder Xavier de Lima - Sargento da Aeronáutica - BA
Morto quando, ao volante de uma viatura, conduzia terroristas presos, em Salvador. O assassino, Theodomiro Romeiro dos Santos (Marcos) o atingiu com um tiro na nuca. Organização: PCBR (Partido Comunista Brasileiro Revolucionário).

66 - 10/11/70 - José Marques do Nascimento - civil - SP
Morto por terroristas que trocavam tiros com a polícia.

67 - 10/11/70 - Garibaldo de Queiroz - Soldado PM - SP
Morto em confronto com terroristas da VPR (Vanguarda Popular Revolucionária) que faziam uma panfletagem armada na Vila Prudente, São Paulo.

68 - 10/11/70 - José Aleixo Nunes - soldado PM - SP
Também morto na ocorrência relatada acima.

69 - 10/12/70 - Hélio de Carvalho Araújo - Agente da Polícia Federal - RJ
No dia 07/12, o embaixador da Suíça no Brasil, Giovanni Enrico Bucher, foi seqüestrado pela VPR. Participaram da operação os terroristas Adair Gonçalves Reis, Gerson Theodoro de Oliveira, Maurício Guilherme da Silveira, Alex Polari de Alvarenga, Inês Etienne Romeu, Alfredo Sirkis, Herbert Eustáquio de Carvalho e Carlos Lamarca. Após interceptar o carro que conduzia o Embaixador, Carlos Lamarca bateu com um revólver Smith-Wesson, cano longo, calibre 38, no vidro do carro. Abriu a porta traseira e, a uma distância de dois metros, atirou, duas vezes contra o agente Hélio. Os terroristas levaram o embaixador e deixaram o agente agonizando. Transferido para o hospital Miguel Couto, morreu no dia 10/12/70.

70 - 07/01/71 - Marcelo Costa Tavares - Estudante - MG
Morto por terroristas durante um assalto ao Banco Nacional de Minas Gerais.
Autor dos disparos: Newton Moraes.

71 - 12/02/71 - Américo Cassiolato - Soldado PM - São Paulo
Morto por terroristas em Pirapora do Bom Jesus.

72 - 20/02/71 - Fernando Pereira - Comerciário - Rio de Janeiro
Morto por terroristas quando tentava impedir um assalto ao estabelecimento “Casa do Arroz”, do qual era gerente.

73 - 08/03/71 - Djalma Peluci Batista - Soldado PM - Rio de Janeiro
Morto por terroristas, durante assalto ao Banco do Estado do Rio de Janeiro.

74 - 24/03/71 - Mateus Levino dos Santos - Tenente da FAB - Pernambuco
O PCBR necessitava roubar um carro para participar do seqüestro do cônsul norte-americano, em Recife. No dia 26/06/70, o grupo decidiu roubar um Fusca, estacionado em Jaboatão dos Guararapes, na Grande Recife, nas proximidades do Hospital da Aeronáutica. Ao tentarem render o motorista, descobriram tratar-se de um tenente da Aeronáutica. Carlos Alberto disparou dois tiros contra o militar: um na cabeça e outro no pescoço. Depois de nove meses de intenso sofrimento, morreu no dia 24 de março de 1971, deixando viúva e duas filhas menores. O imprevisto levou o PCBR a desistir do seqüestro.

75 - 04/04/71 - José Julio Toja Martinez - Major do Exército - Rio de Janeiro
No início de abril, a Brigada Pára-Quedista recebeu uma denúncia de que um casal de terroristas ocupara uma casa localizada na rua Niquelândia, 23, em Campo Grande/RJ. Não desejando passar esse informe à 2ª Sessão do então I Exército, sem aprofundá-lo, a 2ª Sessão da Brigada, chefiada pelo major Martinez, montou um esquema de vigilância da casa. Por volta das 23h, chega um casal de táxi. A mulher ostentava uma volumosa barriga, sugerindo gravidez.

O major Martinez acabara de concluir o curso da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército, onde, por três anos, exatamente o período em que a guerra revolucionária se desenvolvera, estivera afastado desses problemas em função da própria vida escolar bastante intensa. Estagiário na Brigada de Pára-Quedista, a quem também não estava afeta a missão de combate à subversão, não se havia habituado à virulência da ação terrorista.

Julgando que o casal nada tinha a ver com a subversão, Martinez iniciou a travessia da rua, a fim de solicitar-lhe que se afastasse daquela área. Ato contínuo, da barriga, formada por uma cesta para pão com uma abertura para saque da arma ali escondida, a “grávida” retirou um revólver, matando-o antes que pudesse esboçar qualquer reação. O capitão Parreira, de sua equipe, ao sair em sua defesa, foi gravemente ferido por um tiro desferido pelo terrorista. Nesse momento, os demais agentes desencadearam cerrado tiroteio, que causou a morte do casal de terroristas. Eram os militantes do MR-8 Mário de Souza Prata e Marilena Villas-Bôas Pinto, responsáveis por uma extensa lista de atos terroristas. No “aparelho” do casal, foram encontrados explosivos, munição e armas, além de dezenas de levantamentos de bancos, de supermercados, de diplomatas estrangeiros e de generais do Exército. Martinez deixou viúva e quatro filhos, três meninas e um menino, a mais velha, à época, com 11 anos.

76 - 07/04/71 - Maria Alice Matos - Empregada doméstica - Rio de Janeiro
Morta por terroristas quando do assalto a um depósito de material de construção.

77 - 15/04/71 - Henning Albert Boilesen - (Industrial - São Paulo)
Quando da criação da Operação Bandeirante, o então comandante do II Exército, general Canavarro, reuniu-se com o governador do Estado de São Paulo, com várias autoridades federais, estaduais, municipais e com industriais paulistas para solicitar o apoio para um órgão que necessitava ser criado com rapidez, a fim de fazer frente ao crescente terrorismo que estava em curso no estado de São Paulo. Assim, vários industriais, entre eles Boilesen, se cotizaram para atender ao pedido daquela autoridade militar. Por de3cisão de Lamarca, Boilesen, um dinamarquês naturalizado brasileiro, foi assassinado. Participaram da ação os terroristas Yuri Xavier Pereira, Joaquim Alencar Seixas, José Milton Barbosa, Dimas Antonio Casimiro e Antonio Sérgio de Matos. No relatório escrito por Yuri, e apreendido pela polícia, aparecem as frases “durante a fuga trocávamos olhares de contentamento e satisfação. Mais uma vitória da Revolução Brasileira”. Vários carros e casas foram atingidos por projéteis. Duas mulheres foram feridas. Sobre o corpo de Boilesen, atingido por 19 tiros, panfletos da ALN e do MRT, dirigidos “Ao Povo Brasileiro”, traziam a ameaça: “Como ele, existem muitos outros e sabemos quem são. Todos terão o mesmo fim, não importa quanto tempo demore; o que importa é que eles sentirão o peso da JUSTIÇA REVOLUCIONÁRIA. Olho por olho, dente por dente”.

78 - 10/05/71 - Manoel da Silva Neto - Soldado PM - SP
Morto por terroristas durante assalto à Empresa de Transporte Tusa.

79 - 14/05/71 - Adilson Sampaio - Artesão - RJ
Morto por terroristas durante assalto às lojas Gaio Marti.

80 - 09/06/71 - Antônio Lisboa Ceres de Oliveira - Civil - RJ
Morto por terroristas durante assalto à boate Comodoro

Trem-bala só depois das Olimpíadas

Quem imaginava viajar de São Paulo em trem de alta velocidade para assistir aos Jogos Olímpicos no Rio em 2016, vai ficar frustrado. A ligação completa entre Rio e São Paulo pelo trem-bala não deve ficar pronta a tempo.Se tudo correr no prazo previsto, as obras deverão durar cinco anos.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Nada falo, nada vejo...


Surpreso e preocupado com a crise envolvendo Forças Armadas, Ministério da Defesa e Secretaria de Direitos Humanos, Lula baixou a lei do silêncio sobre o Programa Nacional de Direitos Humanos, para não alimentar a polêmica em torno do tema.

O presidente retornou hoje (dia 11), ao trabalho, após 11 dias de descanso, com a missão de desatar o nó da Comissão da Verdade, que prevê a investigação dos crimes de tortura durante a ditadura militar (1964-1985). Ele ficou especialmente contrariado ontem ao saber que o secretário nacional de Direitos Humanos, Paulo Vanucchi, disse ao jornal Folha de S. Paulo que é um "fusível removível" no governo. Mesmo em férias, Vanucchi ameaçou entregar o cargo, caso o programa de direitos humanos seja alterado para permitir a punição a militantes da esquerda.

Rapidamente, o cartunista Toni D’Agostinho aproveitou o tema e colocou, literalmente, mãos à obra...

Quem ganhou


Pesquisa realizada pela Catho Online, com mais de 166 mil profissionais, traçou o perfil salarial de 1.700 cargos. O estudo comparou informações de outubro de 2008 com outubro de 2009 e revelou que as áreas que registraram o maior crescimento no período foram: Responsabilidade Social (19,7%), Comércio – Filial (14,6%), Medicina Clínica (12,2%), Engenharia Elétrica / Eletrônica (12,1%) e Comércio – Regional de Vendas (11,9%). A relação entre qualificação profissional e remuneração também foi avaliada na pesquisa.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Programa Nacional Bolivariano


Por Rodrigo Constantino

O presidente Lula assinou o decreto que criou o “Programa Nacional de Direitos Humanos”, apenas uma fachada para a “revolução bolivariana” em marcha no continente. O programa avança de forma escancarada sobre as mais básicas liberdades individuais, incluindo a propriedade privada. O governo está sugerindo quase trinta novas leis, assim como a criação de mais de dez mil novas instâncias burocráticas para empregar os camaradas. Os parasitas têm fome de recursos e poder!

Entre outras barbaridades, o governo tenta avançar rumo à “democracia” plebiscitária da Venezuela, um eufemismo para a velha ditadura da “maioria” – na verdade, uma minoria organizada que fala em nome do “povo”. Faz parte da agenda dos “direitos humanos” instituir o financiamento público de campanhas eleitorais também, para criar o “caixa três” dos grandes partidos. Resgatar a censura na imprensa é outra meta do programa. Rever a Lei de Anistia é outro objetivo, partindo para um “revanchismo” que ignora o papel dos guerrilheiros comunistas na escalada opressora da década de 1960. Os atuais “heróis” da democracia lutavam, na verdade, para instaurar no país uma ditadura como a cubana. Por fim, o programa pretende regulamentar a taxação das grandes fortunas, medida extremamente populista – e estúpida do ponto de vista econômico – que representa apenas a idealização da inveja, sentimento mesquinho típico dos socialistas.

Em suma, trata-se da aceleração do projeto “bolivariano” em curso no continente, cujo ícone máximo está na figura pitoresca de Hugo Chávez. A turma dos “direitos humanos” é assim mesmo: defende tudo aquilo que existe de mais abjeto no mundo. A cara-de-pau dessa gente não encontra limites: eles são capazes de falar em “direitos humanos” abraçando o ditador mais cruel do continente, o decrépito “El Coma Andante” de Cuba, ou então o louco Ahmadinejad do Irã. Para alguns defensores dos “direitos humanos”, Guantánamo parece um lugar bem apropriado...

Análise de Lula

Com os mais chegados, Lula faz sua análise sobre os destinos dos tucanos, depois das eleições presidenciais: acha que Serra eleito, Aécio será apenas seu vice; se Serra perder e Aécio for vice, perde junto e fica sem nada; se Serra vencer e Aécio estiver no Senado, será o comandante da Casa, com maior poder e maior influência; se Serra perder e Aécio estiver no Senado, vira o chefe da oposição e se candidata ao Planalto em 2014.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Enquanto isso....

Hóspede do barulho: Manuel Zelaya, em dolce vita, na embaixada brasileira em Honduras, onde brindou a 2010

Na embaixada brasileira em Honduras, o clima é de desamparo total e de muita reclamação. Tudo porque o presidente deposto do país, Manuel Zelaya, e sua comitiva, formada por mais de 60 pessoas, ainda permanecem como nossos hóspedes, gastando o dinheiro do contribuinte brasileiro.

Quer mais? Dizem que a noite de réveillon foi regada a muita comida e muito champanhe francês... Era só o que faltava!

O novo Rasputin


Há algum tempo, a ministra Dilma Rousseff ganhou o apelido de Dama de Ferro, inspirado na baronesa Margareth Thatcher. Mas, o rótulo acabou esvaziando porque, política e economicamente, havia muita diferença entre elas. Agora, Dilma vem sendo chamada de czarina (e o primeiro a usar a expressão foi Reynaldo Azevedo) que, como nos tempos da czarina Alexandra, mulher do czar Nicolau II, (último czar Russia, assassiando com toda a sua família em 1918, pela escória comunista), também teria um conselheiro especial como Rasputin. E quem ostenta esse novo codinome, por assim dizer, é Franklin Martins. Rasputin, era uma mistura de homem santo milagreiro com o charlatanismo, que, sem ter formalmente nenhum cargo no governo imperial russo, exerceu uma enorme influência na última fase de vida da dinastia Romanov.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Família Geyer deixa a petroquímica, após 40 anos à frente da Unipar

Paulo Geyer

A venda do controle da Quattor para a Odebrecht e Petrobras por R$ 872 milhões, incluindo um prêmio de controle de quase 80%, marca a saída do clã dos Geyer da petroquímica no país, na qual tiveram forte presença nos últimos 40 anos à frente da Unipar, um dos maiores grupos nacionais do setor de resinas termoplásticas. A operação desata um dos últimos nós para a constituição, por Odebrecht e Petrobras, da gigante brasileira que tem ambição de se tornar a líder das Américas no setor.
Os Geyer, por meio da Unipar, foram os fundadores da Petroquímica União (PQU), em São Paulo, e acionistas controladores da Rio Polímeros, no Rio de Janeiro. A decisão de ficar fora da fusão que dará origem à "nova Braskem", foi selada nesta segunda-feira pelos controladores da Vila Velha, holding da família dona de 60% do capital votante da Unipar.

Dos cinco herdeiros de Paulo Fontainha Geyer, falecido aos 84 anos em 2004, apenas Alberto, o filho mais velho, se opõe hoje ao negócio. Derrotado, junto com sua irmã Joanita, no racha familiar acirrado que dividiu os irmãos pelo controle da holding, em 2007, Alberto é minoritário na holding e no final de dezembro acionou a Justiça contra a operação de venda da Quattor. Foi derrotado numa primeira liminar impetrada em primeiro grau no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) cassada por Ricardo Couto de Castro, desembargador de plantão. Agora, ele aguarda para quinta-feira novo pronunciamento do TJ-RJ, com retorno do funcionamento normal do judiciário. Segundo juristas consultados , ele pode requerer o que quiser, mas veem no momento nenhum obstáculo judicial que impeça Unipar, Braskem e Petrobras de negociarem a operação de fusão.

As irmãs de Alberto - Vera, Maria e Cecília -, que compõem o bloco de controle, acatam a condução do negócio por seu sobrinho Frank, curador da mãe, Cecília, e recusaram a oferta feita por Alberto de compra de suas participações nas empresas da família.

Desde o início do processo de sucessão no conglomerado, há cerca de 30 anos os herdeiros brigam pelo poder na Unipar, chegando a embargar operações importantes para a sobrevivência do grupo. Joanita, aliada de Alberto, também apelou para os tribunais para barrar a operação de venda da Quattor, mas desistiu de lutar e optou por vender sua participação na Vila Velha por cerca de R$ 50 milhões às irmãs. Isso garantiu uma participação de 80% aos controladores da holding, cuja estratégia é "pacificar a família" fazendo uma oferta de compra pela fatia de Alberto - pouco mais de 20%.

As richas familiares, uma dívida de quase R$ 6,5 bilhões e o impacto da crise internacional foram fatores que influíram na tomada de posição dos controladores da Vila Velha pela venda da Quattor, além da visão de que a petroquímica tende a uma consolidação global.

A Quattor, segundo fontes envolvidas na negociação, se viu sem poder de fogo para acompanhar Petrobras e Odebrecht no aumento de capital da futura empresa. O valor em é estimado entre R$ 3 bilhões e R$ 4 bilhões, necessário para torná-la uma das maiores petroquímicas do mercado global e absorver a dívida da Quattor. Diante dessa "montanha de dinheiro", a Unipar corria o risco de ter uma participação acionária inexpressiva, de no máximo 5%, no processo de fusão. Por isso, seus controladores optaram se desfazer das ações da companhia. O preço ofertado pela Petrobras e Odebrecht, de R$ 872 milhões, dos quais R$ 372 milhões correspondem ao prêmio de controle, foi considerado justo pelos Geyer, segundo interlocutores envolvidos na negociação, e influiu muito na hora de bater o martelo.

Fontes próximas da operação adiantaram que os recursos a serem obtidos na venda não irão direto para os cofres da Vila Velha: serão revertidos para o caixa da Unipar e usados na forma de distribuição de dividendos a todos seus acionistas. A Unipar, que já conta com R$ 400 milhões, terá ao final da operação uma uma posição de caixa confortável de R$ 1,2 bilhão, a qual ajudará a empresa na opção por novos negócios.

Sob o guarda-chuva da Unipar restará 50% do capital da Carbocloro, fabricante de cloro-soda que fica em Cubatão (SP) e que fatura R$ 1 bilhão anuais

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Jorge Paulo Lemann: Sonhe grande.

Eu e Jorge Paulo Lemann, em 2007, em seu escritório pessoal em São Paulo


Hoje à tarde estive reunido com o meu amigo Guilherme Ventura, diretor da Itaúba Serviços Especiais na sede da Associação Comercial e Empresarial de Juiz de Fora, e em determinado momento nosso assunto recaiu na pessoa do bem sucedido empresário Jorge Paulo Lemann, maior acionista individual da AB Inbev , líder mundial em cervejas. Disse ao Guilherme o quanto sou admirador do Jorge Paulo, pessoa que tive o privilégio de conhecer e que até hoje mantenho contato. Nisso me lembrei sobre o que aprendi com o Jorge Paulo sobre “sonhar grande”. Ele diz mais ou menos assim, que sua maior contribuição pessoal ao meio empresarial brasileiro terá sido a cultura do "sonho grande". O estímulo aos homens e mulheres de negócio que desejam construir algo excepcional e que se movem por esse ideal. Se o sonho é pequeno, ele diz, você se perde no meio do caminho. Com picuinhas. Daí uma das raras frases de efeito que se atribuem a este capitalista de muita ação e poucas palavras: "Pensar pequeno e pensar grande dá o mesmo trabalho. Mas pensar grande te liberta dos detalhes insignificantes". É a pura verdade.

Estréia fraca

As bilheterias do primeiro fim de semana do filme Lula, o filho do Brasil ficaram muito abaixo do esperado: apenas 219 mil pessoas foram ao cinema assistir a vida do presidente. Para quem gosta de comparações: Carandiru levou 468 mil pessoas aos cinemas no primeiro fim de semana, 2 Filhos de Francisco, outras 266 mil e o campeoníssimo Se Eu Fosse Você 2, 2,57 milhões.

A nova guerrilha





Na semana passada, a Secretaria Nacional de Direitos Humanos publicou um decreto, devidamente assinado pelo presidente Lula. Entre outras providências, instituía uma tal Comissão Nacional da Verdade para investigar crimes contra os direitos humanos cometidos durante o regime militar.
Os comandos militares do Exército, Marinha e Aeronáutica até aceitaram a novidade desde que também fossem investigados crimes de organizações terroristas de esquerda. Quando passou pela Casa Civil (e todos os decretos passam pela mesa de Dilma Rousseff), o texto foi modificado: ficou apenas a investigação contra militares e determinava também a revogação de leis de 1964 e 1985, caso se considerasse que elas atentassem contra a dita verdade. Ou seja: jogava pelo ralo a Lei da Anistia. O ministro Nelson Jobim, da Defesa e os três comandantes subiram nas tamancas, evidenciando-se que a ofensiva armada por Tarso Genro e Paulo Vanucchi, havia mesmo ganhado a vendetta terrorista da própria Dilma e, de quebra, de Franklin Martins,ministro da Comunicação Social, hoje e cada vez mais o Rasputin deste rascunho de czarina que pretende suceder Lula.
É preciso dizer com clareza, não? Dilma Rousseff pertenceu a uma organização terrorista, homicida mesmo: a Vanguarda Popular Revolucionária. Franklin Martins também praticou terrorismo. O seu MR-8 seqüestrava e matava. Vanucchi foi da Ação Libertadora Nacional, o que significa dizer que era um servo do Manual da Guerrilha, de Carlos Marighella, um verdadeiro manual de… terrorismo, que pregava até ataques a hospitais e dizia por que os bravos militantes deviam matar os soldados.Os mais lúcidos entendem que a manobra suja sinaliza o que pode acontecer no país caso Dilma Rousseff vença as eleições, com a permanência de Franklin no mesmo ministério.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Agora, sol em Angra

Uma amiga , que passou o réveillon em Angra dos Reis, me disse que frequenta aquele pedaço do litoral fluminense há 30 anos e nunca viu uma chuva que nem a que caiu neste fim e começo de ano. E que o astral dos feriados de réveillon também não foi o mesmo dos anos anteriores, dadas as tragédias acontecidas na região. Me conta ela que os sócios do Iate Clube de Santos, que tem sede em Angra também, se organizaram para dar uma boa ajuda aos moradores que perderam tudo.

Agora o tempo em Angra está lindo. Claro, é sempre assim, quando a maioria tem de voltar...

Boris Casoy


Um dos principais hits deste início de ano, na internet, é o caso do jornalista Boris Casoy, que na última quinta-feira (dia 31), durante a exibição do Jornal da Band, fez um infeliz comentário sobre uma mensagem de felicitações de ano novo, protagonizada por dois garis. Com o som da vinheta do programa, o áudio do microfone vazou e tornou público o de Casoy. Nele, o apresentador diz: “Que m...dois lixeiros desejando felicitações... do alto de suas vassouras... dois lixeiros... o mais baixo da escala do trabalho”. No dia seguinte, após intensa repercussão do caso, Casoy se desculpou, no ar, pelo comentário ofensivo aos garis.

Em ordem


Segundo se conta entre os comandados do prefeito Custódio Mattos, depois da queda da popularidade o prefeito promete colocar Juiz de Fora em ordem nos meses de janeiro e fevereiro. A ideia é aproveitar a cidade que fica mais vazia nesses meses para tapar buracos e refazer o asfalto em muitas ruas da cidade. O cidadão agradece.